Ar condicionado em empresas: 9 erros que você deve evitar

Verão, sol, calor e suor, tudo isso só é bom se você estiver na praia, no mínimo, tomando água de coco. Do contrário sua produtividade e criatividade e da sua equipe serão diretamente afetadas. Portanto, ninguém consegue se concentrar ou ser criativo quando as condições climáticas não são favoráveis.

Por isso, precisamos cuidar e valorizar um bom e eficiente ar condicionado nas empresas, sem esquecer da limpeza periódica e manutenção preventiva e que esse trabalho seja realizado por pessoas competentes.

Primeiro porque ele nos salva das altas temperaturas e do desconforto e segundo porque é um equipamento que merece atenção na instalação e na assistência, pois é composto de substâncias que trazem riscos à saúde. Então, quer conhecer 9 erros que você deve evitar na utilização do ar condicionado? Continue lendo este post!

1. Instalar o aparelho em locais inadequados

A localização do ar condicionado impacta no seu desempenho de longo prazo e, em certos casos, exige mais gasto com manutenção e reposição de peças que o normal. Lugares frescos, abertos e ventilados são ideais. Outros erros comuns na hora de escolher o melhor local para instalação são:

  • optar por áreas que batem muito sol e acabam exigindo demais do aparelho;
  • não calcular a distância certa entre a parte interna e a externa do ar condicionado, que ocasiona despesas extras com tubulação;
  • se preocupar com a estética e se esquecer de aspectos práticos;
  • não verificar se a capacidade da rede elétrica suporta a tensão elétrica do aparelho, considerando que esta difere de acordo com o modelo e fabricante;
  • não ler as instruções e recomendações do fabricante no momento de definir a localização do utensílio.

2. Não testar a refrigeração

Um fator que impacta na conta de energia e no processo do aparelho ao longo da sua vida útil é a não verificação do sistema de refrigeração. É importante que logo após a instalação, e durante as manutenções periódicas o líquido de refrigeração seja verificado e reabastecido de tempos em tempos. Quando existe vazamentos dessa substância superior ou maior que 10% o consumo energético aumenta e o desempenho fica prejudicado.

3. Não realizar vácuo

O vácuo é que limpa a tubulação de gases não condensáveis e umidade. É um procedimento exigido por lei e que deve ser feito quando o aparelho é recarregado com gás refrigerante e no momento de instalação, para assim certificar que o aparelho terá a durabilidade esperada.

4. Não verificar drenos

Os drenos evitam que a umidade fique no ambiente interno, levando-a para fora. A umidade causa infiltrações estruturais nas paredes e no teto. Isso acontece quando eles são colocados de maneira equivocada. No entanto, é relevante verificá-los antes que o aparelho comece a funcionar efetivamente.

5. Usar condutas inapropriadas

As condutas também são conhecidas como as tubulações que o utensílio usa para refrigerar o ar externo e trocá-lo com o interno. Existem tamanhos específicos para cada tipo de aparelho. A utilização de condutas inapropriadas favorece o vazamento de gás refrigerante e umidade, o que prejudica a sua eficiência.

6. Esquecer da limpeza periódica dos aparelhos

Ar condicionado é um equipamento que precisa de limpeza e manutenção periódica. Afinal, ele funciona também como um filtro que acumula impurezas presentes no ar. A recomendação geral é uma limpeza a cada 15 dias, realizada pelo proprietário.

De 8 em 8 meses é recomendável que um técnico ou uma empresa terceirizada faça a higienização e uma revisão para verificar condutores e qualquer possível vazamento de gás ou líquido. É sempre bom lembrar que a limpeza diminui o consumo de energia e prolonga a vida útil do ar condicionado.

Além disso, passou a vigorar em 2018, uma lei que torna obrigatório manter em bom estado os aparelhos de prédios privados coletivos e públicos. Essa normatização faz com que empresas passem a ter planos de manutenção e controle de climatizadores a fim de evitar possíveis danos à saúde. Pois eles podem liberar poluentes químicos, físicos e biológicos.

7. Utilizar carga térmica errada

Cada ar condicionado necessita de uma carga térmica ideal para que o funcionamento seja pleno. Quando usados abaixo do recomendado consomem mais energia e exigem muito esforço para atingir as temperaturas solicitadas.

É por isso que as peças internas se desgastam com mais rapidez em alguns aparelhos. Muitos proprietários acreditam que subdimensionar os aparelhos, ou seja, usá-los com potências inferiores é uma forma de economia, mas estão cometendo um grande erro.

8. Não verificar vazamento de gás refrigerante

O gás refrigerante absorve e transporta o calor através dos dutos até chegar à condensadora, que é a parte que fica fora do ambiente. Essa substância é colocada dentro do aparelho justamente para servir de auxílio no ciclo de climatização. A medida que vaza compromete, aos poucos, o funcionamento do ar condicionado.

9. Manter o compressor obstruído

O compressor deve ficar em lugares abertos e onde não existam contatos com objetos que possam obstruir a passagem de ar, já que é neste lugar em que ocorrem as trocas de ar e é preciso que haja espaço suficiente para que a peça exerça sua função com eficácia. Assim, o ideal é que exista um acompanhamento durante todo processo de instalação, para se ter certeza de que o técnico escolheu um local adequado.

Colocar e manter um ar condicionado em empresas deve ser um trabalho realizado por pessoas qualificadas, de credibilidade e experiência comprovadas, que saibam o que devem evitar para garantir uma vida útil longa e um consumo de energia aceitável para o equipamento.

Muitos fatores podem comprometer o funcionamento do aparelho. Por isso, é importante saber as especificações, ler todas as instruções dadas pelos fabricantes, conhecer as limitações de cada tipo de aparelho e qual é o modelo mais adequado para determinado tipo de ambiente.

Seguir todos os procedimentos e contar com uma equipe técnica confiável vai assegurar dias de clima ameno em qualquer estação do ano na sua empresa. Quer saber mais sobre limpeza, segurança, entre outros serviços terceirizados? Siga o Grupo Verzani & Sandrini no Facebook!

Compartilhe: