EPI para jardineiro: saiba quais equipamentos são indispensáveis

A atividade de jardinagem pode expor o profissional a diversas situações de risco, principalmente em áreas extensas e com vegetação desenvolvida. Dessa forma, é indispensável a utilização de EPI (equipamento de proteção individual) para jardineiro.

Empregar o EPI correto e fazer uso adequado é responsabilidade do profissional. Já à empresa cabe fornecer o equipamento, capacitar para o uso e certificar-se de que ele está sendo empregado corretamente para que seja realizado um serviço de qualidade e em segurança. Continue a leitura e descubra quais equipamentos são indispensáveis para os trabalhos de jardinagem corporativa.

Calçado de segurança

A atividade de jardinagem envolve ações capazes de submeter os funcionários a inúmeras situações de risco. Em especial, devem ser considerados os riscos de cortes e perfurações dos pés, além de traumas por batidas em pedras e tocos escondidos sob a vegetação desenvolvida.

Sob certas condições comuns em determinadas regiões, é preciso ainda fazer uso de botas de cano longo. Esse é um cuidado que deve ser tomado, por exemplo, quando a manutenção corporativa é feita em áreas próximas a ambientes de preservação nos quais proliferam animais peçonhentos (serpentes, escorpiões, aranhas).

Perneira de proteção

Uma alternativa para as áreas de ocorrência de animais peçonhentos é a utilização de perneiras, juntamente com o calçado de segurança. Por sua vez, esse EPI é utilizado como proteção extra para a perna, principalmente quando na operação de cortadores de grama.

Para o jardineiro, a perneira pode ser confeccionada em raspa com forração em tecido e laminado de PVC. Dessa forma protege contra os riscos mais comuns a que se submete, não havendo necessidade de uso de laminado em aço, como empregado, por exemplo, em manutenção industrial.

Avental

O avental mais comumente recomendado para o jardineiro é feito de raspa. Sua espessura e resistência são suficientes para proteger o corpo do profissional na ocorrência, por exemplo, do escape de uma ferramenta ou do contato com vegetação com espinhos.

Qualquer EPI deve se adequar ao corpo do usuário, sem inibir seus movimentos. Desse modo, a utilização do avental de raspa deve considerar um ajuste adequado no corpo ou poderá atrapalhar as atividades, em vez de oferecer a proteção esperada.

Óculos de proteção

Óculos de proteção constituem a principal segurança para os olhos em quase todas as atividades do profissional de jardinagem. Precisam ser utilizados em praticamente todas os trabalhos desenvolvidos pelo jardineiro. Ao mesmo tempo, não podem prejudicar a capacidade visual do usuário.

Poeiras, ciscos, terras, traumas por impactos de galhos e folhagem em áreas mais densas, tudo coloca em risco a segurança dos olhos. Também é um EPI que deve ficar bem ajustado para não cair facilmente e acabar por não cumprir com sua função.

Máscara de proteção

A máscara de proteção ou protetor facial deve resguardar, além dos olhos, todo o rosto do jardineiro. É um equipamento indispensável, principalmente, durante a operação de cortadores de grama motorizados. Nos trabalhos de pulverização, ele protege o rosto contra respingos do produto em aplicação. Nesse caso, a máscara deve ser utilizada em conjunto com o respirador indicado.

Respirador

O respirador pode ser simples e descartável, como nos casos de proteção contra poeiras em geral. No entanto, nas operações de pulverização, por exemplo, deve possuir filtro adequado para o produto que está sendo aplicado (herbicida, inseticida, adubo líquido).

Dependendo da aplicação que for feita em pulverização, a própria máscara onde se encaixa o filtro deve ser apropriada para a demanda. Assim, em certos casos, todo o conjunto deve garantir proteção própria para a atividade e especificidade para o produto utilizado.

Cinto de segurança

O cinto de segurança é um EPI muito utilizado para trabalhos em altura. Nas atividades do jardineiro, é indispensável especialmente nas situações de podas que exigem, por exemplo, alcançar ramos mais elevados das árvores.

A ausência desse cuidado preventivo tem sido responsável por acidentes graves e, até mesmo, fatais. Muitos profissionais podem apresentar certa resistência quanto ao uso do EPI. Por isso, dar treinamentos e conscientizar os profissionais da importância desses equipamentos é fundamental para garantir tanto seu uso como a segurança do seu trabalho.

Protetor auricular

Quando operando um equipamento motorizado (cortador de grama, motosserra, varredores a vento), o jardineiro deverá fazer uso de protetor auricular para se resguardar do excesso de ruído. Esse é um EPI bem simples.

No entanto, não se deve descuidar de sua utilização, principalmente se o emprego desses equipamentos motorizados for frequente. A exposição a ruídos pode ser muito danosa para a capacidade auditiva do profissional.

Dependendo do conforto ou adaptação do operador, pode ser necessário substituir o protetor auricular por um abafador de ruído. De todo modo, o EPI utilizado deve estar adequado à redução de ruído que precisa oferecer, ou não alcançará o resultado necessário.

Luvas de proteção

Em função da atividade desenvolvida, o jardineiro poderá necessitar de um ou mais pares de luvas de proteção, como ocorre nos casos de limpeza industrial. Nesse sentido, luvas de proteção apresentam duas alternativas básicas para a jardinagem: luvas de borracha ou luvas de raspa.

Os serviços mais grosseiros, como pegar pedras e madeiras ou quebrar ramos de árvores, são possíveis de serem realizados com as luvas de raspa. Por sua vez, as luvas de borracha podem ser necessárias em atividades que exijam melhor capacidade de manipulação e uso dos dedos.

Capacete de segurança

Em determinadas atividades desenvolvidas pelo jardineiro, é necessário que faça uso de capacete de segurança. Esse EPI, utilizado para a proteção da parte superior da cabeça, é efetivo, especialmente, contra queda de galhos em trabalhos de poda de árvores ou traumas ao circular sob obstáculos.

Assim como a maioria dos EPIs, o capacete de segurança deve ser ajustado adequadamente à cabeça do jardineiro, além de fazer uso da alça de trava. Um capacete de segurança solto sobre a cabeça é capaz de atrapalhar o bom desempenho profissional.

Conhecer os diversos equipamentos de proteção aplicáveis a qualquer atividade é imprescindível para a segurança dos operadores. Por sua vez, o EPI para jardineiro pode variar muito em razão da natureza do trabalho desenvolvido, seja próprio ou terceirizado.

Vimos que a jardinagem corporativa é um serviço profissional. Agora, descubra bons motivos para contratar uma empresa prestadora de serviços.

Compartilhe: