Saiba por que a gestão de ativos é tão importante para a sua empresa

O Brasil encara um momento desafiador em seu cenário econômico. Diante da estagnação na indústria e das restrições de investimentos, é preciso traçar estratégias inteligentes para se diferenciar. Uma das formas mais eficientes de se manter competitivo no mercado é reduzir os custos, aumentar a produtividade de uma maneira inteligente e manter o padrão de qualidade. Para cumprir essa tarefa, as empresas mais conceituadas do mercado realizam a gestão de ativos.

Quer entender como a gestão de ativos funciona, na prática, e como ela beneficia seus negócios? Confira o que reunimos a seguir.

O que é um ativo?

A ISO 55.000, como detalharemos adiante, define como ativo todo e qualquer item, coisa ou entidade que a empresa controla, o que inclui bases de dados, contratos, aplicações corporativas, objetos concretos (dispositivos móveis, maquinário industrial, impressoras, entre outros). Nesse sentido, o papel da gestão de ativos é garantir que todos esses ativos sejam capazes de entregar serviços devidamente controlados, com resultados satisfatórios. Alguns preferem definir a gestão de ativos como o gerenciamento do ciclo de vida.

Por que a gestão de ativos é importante?

Graças à gestão de ativos, a empresa examina a necessidade e o desempenho de sistemas ativos em diferentes níveis, organizando seus departamentos e alinhando suas ferramentas de controle. Para isso, são aplicadas abordagens analíticas para a gestão de um ativo ao longo de diferentes fases do seu ciclo de vida. Algumas metodologias contemporâneas da gestão industrial são aplicadas nesse processo:

  • gestão de incerteza;
  • manutenção de produtividade total;
  • manutenção centrada em confiabilidade;
  • gestão baseada em risco;
  • avaliação da relação entre os custos de produção e os riscos;
  • custeio do ciclo de vida;
  • confiabilidade operacional, entre outros.

Com essas práticas, a empresa pode tomar as decisões certas e otimizar a entrega de valor.

PAS 55 e ISO 55.000: o que eles definem?

A PAS 55 é um procedimento técnico que traz 28 pontos para aperfeiçoar sistemas de gestão para todos os tipos de ativos físicos das organizações. Nela, a gestão de ativos é entendida como a aplicação de atividades coordenadas e sistemáticas para que a empresa faça a gestão otimizada e sustentável de seus ativos, como estabelecido no planejamento estratégico. Essa norma foi publicada no Brasil em 2004 em uma parceria da Abramam com o Institute of Asset Management (IAM) da Inglaterra, a British Standards Institution (BSI) e a Editora Qualymark.

Já a ISO 55.000, publicada em 2014 pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), foi construída a partir dos 28 pontos levantados na PAS 55. Ela busca unificar princípios de gestão de ativos em todo o mundo.

Segundo a ISO 55.000, o processo deve abranger 7 elementos:

  • contexto da organização: aqui, devemos definir quais são os objetivos e necessidades do plano estratégico da empresa;
  • liderança: nesse eixo, selecionamos quem se responsabiliza pela gestão de ativos;
  • planejamento: aqui, estabelecemos como os riscos e oportunidades serão avaliados, quais são os objetivos e quais critérios serão documentados;
  • suporte: levantamos quais serão os recursos necessários para a equipe de gestão de ativos;
  • operação: hora de colocar em prática o plano traçado para o monitoramento de riscos e a gestão da mudança;
  • avaliação de desempenho: aqui, avaliamos as métricas levantadas no planejamento estratégico. É também o momento de realizar auditorias;
  • melhoria: as não-conformidades levantadas devem ser ajustadas com práticas de melhoria contínua.

Como alinhar todos esses elementos para aprimorar a gestão de ativos? Confira no tópico a seguir.

Como tornar a gestão de ativos mais eficiente?

Para fazer a gestão e rastrear os ativos fixos, é preciso que você conte com profissionais atentos e dedicados. Afinal, qualquer desafio no rastreamento de ativos fixos pode levar a perdas financeiras significativas, problemas fiscais e legais. Confira as nossas dicas e aprimore as suas práticas.

Crie ou conte com uma equipe especializada

A gestão de ativos inicia-se antes mesmo da empresa adquirir esse ativo. No processo de deliberação em torno da necessidade desse tipo de investimento, devem ser consideradas todas as fases do seu ciclo de vida, o que requer o conhecimento de uma equipe especializada e de um profissional responsável.

Com profissionais bem preparados e munidos das ferramentas certas de gestão, seus colaboradores fazem um uso otimizado de seus recursos, melhorando os índices de produtividade da empresa. Além disso, uma equipe capacitada prepara a sua empresa para se adequar a procedimentos e normas técnicas de padronização internacional e às tendências de mercado, além de estabelecer os critérios certos para o acompanhamento dos materiais e equipamentos.

Use um software de rastreamento de ativos

A gestão e ativos industriais é baseada em cálculos de simulação que estimam o desempenho técnico e econômico em diferentes cenários operacionais. Por isso, é importante que você conte com softwares que ajudem a simular os custos anuais de serviço e operação, de forma que você possa tomar decisões assertivas em seus processos de compras.

Além dessa função, os softwares ajudam no controle da manutenção preventiva. Com simulações, dimensionamento de peças substitutas, atualizações de equipamentos, entre outros, você reduz os custos de gerenciamento da sua companhia.

Os softwares e hardwares que você usa fazem grande diferença na precisão de seu gerenciamento e no tempo aplicado para essa tarefa. Por isso, procure sempre usar as melhores ferramentas.

Monte um inventário

Para que você possa fazer o gerenciamento de ativos, é importante que você saiba quais itens serão monitorados e como avaliá-los. O inventário bem catalogado e atualizado desses itens será essencial para seu rastreamento.

Faça um rastreamento inteligente

Se você começar a sua gestão de ativos com números imprecisos, toda a sua análise ficará prejudicada. Por isso, com frequência, volte ao inventário físico de seus itens para garantir que eles estejam catalogados e remova os ativos “fantasmas” (que não estão mais na propriedade de sua empresa).

Personalize o relatório

É frequente que empresas contem com relatórios genéricos e padronizados para a sua gestão de ativos. Contudo, é importante que a sua programação de ativos seja adaptada aos setores e necessidades de sua empresa, de forma que suas equipes possam obter informações relevantes.

A gestão de ativos prevê que tudo o que ocorre na sua empresa pode ser monitorado e mensurado. Assim, a sua equipe pode identificar falhas, oportunidades de aprimoramento e tendências, bem como tornar os processos de compras mais inteligentes, alinhando-se ao planejamento estratégico de sua empresa.

Gostou das nossas dicas para fazer a sua gestão de ativos e otimizar seus resultados? Assine a nossa newsletter e receba dicas para alavancar seus negócios!

Compartilhe: