O que é a Logística 4.0 e como ela impacta o setor de compras?

Estamos na 4ª Revolução Industrial! Se você não sabia disso, não se preocupe. Nós vamos atualizá-lo. A primeira revolução da indústria veio com a máquina a vapor e o encurtamento das distâncias. Na 2ª, a energia elétrica potencializou os meios de produção e mudou a forma de produzir.

A 3ª mostrou ao mundo o poder da tecnologia e do uso da computação. Nesse exato momento, estamos conhecendo e, em muitos casos, aprendendo a lidar com a capacidade de processamento e armazenamento quase ilimitada dessas máquinas. É isso que conhecemos como 4ª Revolução Industrial.

Big data, machine learning, cloud computing, analytics, segurança eletrônica e digital. Essas e outras ferramentas são capazes de processar dados e, o mais importante, prever tendências futuras em uma velocidade inacreditável. Elas estão mudando a forma de consumir, de comprar e vender, de negociar e, porque não dizer, de se relacionar.

Nesse cenário de mudanças tão rápidas, de processamentos feitos em segundos e de armazenamento em nuvem está também a logística 4.0. Quer saber tudo sobre o tema e ainda entender como os profissionais do setor devem fazer para se adaptar às mudanças e torná-las aliadas? Continue a leitura!

O que é logística 4.0?

A logística 4.0 faz parte de toda a cadeia de suprimentos na era 4.0. Nela, temos também as compras 4.0, o consumo e o marketing 4.0, além de todas as atividades que viram sua realidade mudar desde que o hiperprocessamento e armazenamento se tornou uma realidade no mundo industrial.

 Ela conta com softwares e ferramentas que contribuem para que a comunicação entre setores, clientes e fornecedores seja feita com maior velocidade. Os dados obtidos dessas comunicações são rapidamente transformados em informações relevantes que impactam diretamente na tomada de decisão de gestores e gerentes.

Por último, todas essas etapas e processos serão armazenados no que chamamos de cloud computing, um espaço digital em que a capacidade de arquivamento é praticamente ilimitada e que podem ser acessados sempre que necessário, desde que exista uma conexão com a internet.

A logística 4.0 surgiu da necessidade de adequação a todas as mudanças que a 4ª Revolução Industrial trouxe. Afinal, não dá para entregar um produto usando somente as ferramentas usadas em períodos anteriores, uma vez que as tendências agora são outras.

Por exemplo, atualmente uma frota de caminhões pode ser equipada com dispositivos tecnológicos que possibilitam readequação do percurso em tempo real, se tiver algo de errado na pista. Melhoram o desempenho do motor e fornecem dados de consumo de combustível, desgaste das peças e muitas outras informações relevantes.

Quais as principais ferramentas no setor de compras 4.0?

Muitas pessoas se questionam como é possível que exista toda essa capacidade e velocidade, inclusive, preditiva nos equipamentos atuais. A verdade é que os programas utilizados são muito eficientes para coletar, processar e armazenar dados e transformá-los em informações. Veja algumas das principais ferramentas tecnológicas disponíveis para o setor de compras 4.0!

Big Data

É a tecnologia que processa e interpreta uma grande quantidade de dados, quase instantaneamente, para gerar informações significativas. Faz isso usando os vestígios que deixamos na web ao navegar e acessar sites ou dispositivos.

Assim, o Big Data estabelece um perfil e consegue, inclusive, prever um comportamento. Ele considera cinco aspectos de dados. São eles:

  • volume: trabalha com grandes quantidades;
  • velocidade: faz o processamento quase instantâneo;
  • variedade: analisa os dados estruturados e não estruturados;
  • verdade: garante que sejam verdadeiros;
  • valor: transforma em informações para agregar valor.

Machine Learning

É um ramo da inteligência artificial que abrange a noção de que sistemas aprendem com dados e identificam padrões para tomar decisões sem muitas intervenções humanas. Você já deve ter usado algum aplicativo que recomenda filmes, séries ou músicas. Na base dessas indicações está o machine learning ou aprendizado de máquina, que monitora e reconhece seus hábitos e gostos.

Cloud Computing

É provável que você se lembre que a pouco tempo atrás, para ouvir uma música você precisava baixá-la e assim poderia ouvi-la quando quisesse, o mesmo acontecia com filmes. Hoje não, basta ter uma conexão com a internet, baixar um aplicativo e pronto. Acesso a incontáveis filmes e músicas.

Isso é possível graças ao que chamamos de cloud computing ou computação em nuvem que aproveita a grande capacidade da internet para hospedar inúmeros recursos. Para a logística, especificamente, essa tecnologia permite que dispositivos sejam acessados remotamente só com o uso de um celular ou tablet.

Business Intelligence

Esse é um método que utiliza softwares e programas para trabalhar e processar dados de maneira abrangente e eficaz. A tradução de Business Intelligence é Inteligência de Negócios. Os procedimentos que compõem o ciclo do BI são:

  • coleta de dados: todos os dados que são relevantes para um negócio são coletados e armazenados;
  • organização e análise: logo depois, esses dados são organizados e apresentados graficamente para melhorar a interpretação e a análise;
  • ação e monitoramento: as informações obtidas embasam a tomada de decisões, que depois têm seus resultados monitorados.

 Como elas impactam o setor de compras?

Agora falamos de cada uma delas isoladamente é importante conhecer seus efeitos no setor de compras. Os benefícios são vários e vão desde a redução de custos à melhoria do relacionamento com os fornecedores.

Elas ajudam a diminuir o número de falhas humanas, mas também conseguem otimizar o trabalho dos profissionais que precisam se qualificar, uma vez que precisam saber lidar com as novas tendências tecnológicas. Deixar para trás a burocratização, o uso do papel e caneta e os dados isolados que fornecem informações desencontradas ou parciais vai mudar a realidade do seu negócio. Conheça o impacto no setor de compras!

Geração de demanda automatizada

Os programas e dispositivos tecnológicos vão acompanhar um produto em toda a cadeia produtiva. Desde o momento em que a matéria-prima é solicitada até quando ela finalmente vira um produto e chega às mãos dos clientes. Assim, a necessidade de preenchimento de formulários em caneta e papel é inexistente. O que passa a vigorar é o abastecimento online de banco de dados.

Dessa maneira o fornecedor saberá automaticamente qual é a demanda para o seu negócio em determinado período. Sem que haja ruídos de comunicação, pedidos equivocados ou não atendidos em tempo hábil.

Satisfação do fornecedor

Essa interação instantânea e automática melhora e muito o relacionamento entre empresa e fornecedores. As distorções de comunicação é um dos principais fatores de desgaste das relações de um modo geral e, no mundo dos negócios, não é diferente. Portanto, um fornecedor satisfeito é capaz de oferecer melhores insumos e oportunidades de negociações.

Negociações online

Por falar em negociações na logística 4.0 e, consequentemente, nas compras 4.0 elas podem e devem ser feitas online. Se por um lado elas parecem menos humanizadas, por outro elas são mais acertadas. Portanto, reduz drasticamente os erros cometidos e otimizam o tempo. Sem contar que o aspecto humano fica por conta dos profissionais especializados nas análises e no monitoramento.

Acompanhamento de todo processo                                         

Como já mencionamos, os programas acompanham todo o ciclo produtivo. Na prática isso quer dizer que dados referente a insumos, falhas, retrabalhos, capacidade produtiva, tempo de entrega e satisfação dos clientes serão coletados e analisados para gerar as informações relevantes para a tomada de decisão. É sempre bom lembrar que tudo isso, feito com velocidade e precisão para atender um mercado cada vez mais dinâmico.

Redução de custos

Um dos principais objetivos da otimização de processos, utilizando ferramentas e aparelhos computacionais, é melhorar os estágios na cadeia de suprimentos. No entanto, esses resultados só serão vistos efetivamente se os custos forem reduzidos e a lucratividade do negócio aumentada.

Quando os processos são acompanhados de perto e monitorados em tempo real as chances de identificar falhas são muito maiores. As informações oferecidas na logística 4.0 são mais qualificadas e confiáveis para que a margem de erro das decisões tomadas não cause grandes impactos nos resultados.

Quais os desafios da logística 4.0?

Até aqui só falamos dos pontos positivos e dos benefícios da evolução tecnológica dentro da logística, das compras e da cadeia de suprimentos no geral. No entanto, existem alguns desafios a serem enfrentados pelas empresas que optarem por abraçar tais avanços. No Brasil, principalmente, as inovações chegam com um certo atraso e existe, por parte de alguns, um pouco de resistência com o novo.

Sem falar que é preciso investimento nesse tipo de desenvolvimento. Gestores que não enxergam a longo prazo podem não visualizar o diferencial estratégico que esses investimentos proporcionam.

Contudo, empreendedores com senso de inovação mais aguçado têm optado por terceirizar os serviços que não estão diretamente ligados ao core business dos seus negócios, a fim de alocarem suas equipes inteiramente na expansão da sua atividade fim. Saiba quais são os principais desafios que a logística 4.0 enfrentará!

Resistência de gestores

Alguns empresários, gerentes e gestores têm certa resistência quando o assunto é tecnologia, dinamização e automatização de processos e abandono da burocracia, do papel e caneta. Eles acreditam que estão perdendo o controle no negócio quando na verdade o que acontece é o contrário. Todos os benefícios que a logística 4.0 traz são para deixar as informações sobre o empreendimento mais confiáveis e infinitamente mais rápidas de acessar.

Não precisamos ir muito longe. Imagine a praticidade de estar em uma reunião em um estado, mas monitorando todos os processos significativos da empresa por meio de um tablet. Checar quando quiser os caminhões que estão em trânsito, aqueles que estão parados e saber exatamente onde se encontra cada um. Tudo isso, sem precisar falar com ninguém.

Falta de informação

A falta de informação é o principal fator que obstrui as mudanças e cria um viés equivocado sobre qualquer assunto. Os gerentes e as pessoas que estão diretamente ligadas às etapas da cadeia de suprimentos precisam entender a fundo o que todas as ferramentas fazem para melhorar o negócio. Inclusive, para não as deixarem subaproveitadas.

O conhecimento sobre os programas e dispositivos é o primeiro passo para usá-los da melhor maneira possível e conseguir retirar deles os melhores resultados. Afinal, eles vão fazer o trabalho pesado de coleta, armazenamento e monitoramento de dados, mas a parte estratégica e decisória é feita por pessoas.

Altos investimentos

Implantar essas inovações tecnológicas requer investimentos relativamente altos. É claro que o retorno, quando aplicadas da maneira correta, é garantido. Porém, esse ainda é empecilho para algumas empresas, principalmente, em épocas de crise, em que o medo da mudança costuma ser maior.

É preciso fomentar também a capacitação da mão de obra. Porque a tecnologia, os softwares e os dispositivos são interpretados e abastecidos pela força humana, que é passível de erros e, quando não é treinada, deixa um equipamento caro totalmente ineficaz.

Mão de obra capacitada

A capacitação dos colaboradores é o ponto-chave para o sucesso da logística 4.0. As empresas que promovem o treinamento dos seus funcionários saem na frente da concorrência em qualquer mudança.

Não é diferente no quesito tecnologia. Justamente por aumentar a autonomia de alguns processos que é tão importante que o indivíduo ativo dentro do ciclo produtivo saiba o porquê de estar fazendo aquele trabalho e como desenvolvê-lo da melhor maneira. Assim, o impacto desse engajamento é sentido nos resultados.

Como os profissionais podem se adaptar melhor a esse novo modelo de trabalho?      

Assim como tem redesenhado o mercado, a Revolução Industrial 4.0 tem mudado o perfil exigido dos profissionais que desejam estar alinhados com essas perspectivas no futuro.

O espaço para pessoas que apenas repetem tarefas mecanizadas e não pensam no todo está cada vez menor. Os tempos são outros e novamente é preciso se reinventar e abraçar a mudança para fazer dela uma aliada. Saiba o que a logística 4.0 espera dos bons profissionais da área!

Busca por qualificação

Se as empresas precisam investir em capacitação, o funcionário ideal para o mercado 4.0 é aquele que busca a qualificação e o desenvolvimento humano continuamente. Faz cursos, vai à palestra, troca ideias, ouve podcast sobre as novidades do segmento e fortalece o senso crítico e as habilidades interpessoais. Além de empenhar-se em desenvolver sua capacidade técnica e estar atento nas inovações e atualidades.

Foca nas tarefas estratégicas

Os trabalhos repetitivos e automáticos estão progressivamente sendo executados pelas máquinas. Elas fazem isso melhor que humanos. No entanto, elas ainda não tomam decisões estratégicas como nós, que não consideramos apenas a lógica, mas também o fator humano que está mais evidente agora do que nunca. Por isso, aquele que foca nas tarefas estratégicas sai na frente no mercado 4.0.

Controla e desenvolve projetos

Outra habilidade muita procurada, não só pela logística 4.0, mas por todas as empresas que estão atentas às mudanças que estão ocorrendo, é a capacidade de controlar e desenvolver projetos que possibilitem novas culturas e perspectivas dentro do ambiente corporativo e industrial. Esse profissional faz com que os processos sejam repensados de maneira lógica e criativa para que melhores resultados sejam alcançados.

Prioriza a criatividade

A criatividade é o que possibilita encontrar novas soluções para velhos problemas. O mercado tem buscado isso e a tendência é que essa demanda aumente. Se as máquinas vão realizar o trabalho operacional, cabe aos profissionais criarem novos produtos ou até mesmo novas formas de consumir. No setor de logística, a criatividade existe quando novas formas, mais rápidas e seguras, de entregar um produto surgem.

Um exemplo simples que podemos citar é o uso, ainda que em escala menor, de drones na entrega de certos pedidos. O tempo de entrega é muito menor que das vias convencionais, mas a experiência ainda tem limitações práticas, como distância e segurança, porém não deixa de ser uma alternativa criativa.

A logística 4.0 veio para ficar?

Assim como toda evolução ao longo do tempo, a Indústria 4.0 também vai deixar sua marca. O grande processamento de dados, o acesso remoto, os dispositivos em nuvem e a ultra conectividade já são uma realidade. Por isso, as empresas que ainda não se deram conta do tamanho da mudança precisam fazer isso o mais rápido possível.

A Revista Mundo Logística afirma que a logística 4.0 representa uma nova fase para o setor onde as decisões são tomadas baseadas em um grande volume de dados. Os processos repetitivos são automatizados e otimizados. Além disso, as informações geradas são trocadas entre os setores da empresa, os clientes, embarcadores, transportadoras, armazéns e os outros componentes da cadeia de suprimentos.

Para preparar o seu empreendimento para as mudanças que estão ocorrendo e para as que estão por vir é preciso que haja uma reformulação completa de processos e uma alteração significativa na cultura empresarial. Saiba como adaptar a sua empresa à logística 4.0!

Mapeie os processos

O primeiro aspecto a ser analisado, para implantar uma mudança significativa, é o processo. Por isso, é importante fazer um mapeamento e uma análise criteriosa deles. Desse modo será possível entender os procedimentos que ainda fazem sentido nesse novo cenário, mais dinâmico e automatizado, e aqueles que precisam ser deixados para trás.

Implante um software de gestão

Depois de conhecidos, analisados e selecionados os processos relevantes, o próximo passo é investir em um software de gestão integrada. Os ERPs como são conhecidos, integram todas as informações úteis para a empresa em um só lugar. Eles são uma ótima base de dados e umas das melhores ferramentas de gerenciamento disponíveis no mercado.

Conecte a sua frota à base em tempo real

O diferencial da logística 4.0 é a possibilidade de tomada de decisões em tempo real, de acordo com dados coletados no mesmo instante. Conectar uma frota à essa base de tempo real disponibiliza uma gama de oportunidades.

Por exemplo, se um caminhão sai da trajetória preestabelecida, o gerente ou supervisor sabe imediatamente e intervém. Para outro veículo que apresenta resultados inferiores, a tecnologia de rastreadores permite análises individuais e coletivas, demonstradas em forma de gráficos e estatísticas.

Use a mobilidade a favor do seu negócio

Atualmente os celulares são tão eficientes quanto os computadores, com a vantagem de que podem ser levados a todo lugar. Isso aliado ao fato de existirem aplicativos para praticamente qualquer necessidade pessoal ou empresarial. Há aplicativos para estabelecer a melhor rota e ainda indica se houve acidentes na pista, para monitorar o clima, para ocorrências de transporte etc. Ou seja, dá para agilizar os processos só com o celular. Aproveite a ferramenta!

Crie uma cultura de gestão baseada em dados

No entanto, todas essas inovações só serão aplicadas com sucesso se houver uma mudança profunda na cultura da empresa. As pessoas envolvidas nos processos precisam entender e se engajar para fornecer, coletar e interpretar os dados e informações da maneira correta. A gestão, que antes era baseada, em sua maioria, em experiências empíricas, deve se basear em dados e informações geradas por todos esses dispositivos tecnológicos.

Toda transformação ao longo do tempo enfrenta resistências e, algumas vezes, as pessoas não sabem como lidar com elas. No entanto, o tempo também mostra que é inegável que depois da aparição de uma novidade ou uma invenção as coisas nunca mais voltam a ser as mesmas.

Ainda vamos ouvir falar muito em Big Data, Inteligência Artificial, Internet das Coisas, Machine Learning e alguma outra novidade que ainda surgirá. Essas ferramentas estão, sem dúvida, alterando nossa forma de ver e viver o mundo. O nosso comportamento já não é mais o mesmo de 10 anos atrás.

Se as pessoas mudaram, o mercado precisa acompanhar essas mutações. Ganham da concorrência aquelas empresas que acompanham e se alinham às inovações. Para os setores de compras e logística, os novos dispositivos só têm a agregar valor ao produto e ao relacionamento com os agentes diretos e indiretos das negociações. A cadeia produtiva fica mais dinâmica, otimizada e eficiente.

O resultado final da logística 4.0 é uma maior lucratividade para o negócio e mais satisfação para o cliente. Ou seja, chega-se ao tão sonhado ganha-ganha. Ganha o mercado e ganham os consumidores!

Gostou de aprender mais sobre a indústria 4.0 e a logística 4.0? Ainda tem alguma dúvida ou sugestão sobre o tema? Deixe seu comentário neste post, nós adoraríamos saber o que você achou!

Compartilhe: