Manutenção preventiva: como aplicá-la na minha indústria?

Toda indústria tem suas metas envolvendo custos, produção e até horas extras da equipe. Porém, quando o maquinário apresenta quebras ou algum tipo de degradação, toda essa cadeia sofre percalços. Por exemplo, máquinas paradas sobrecarregam outras e exigem mais horas de trabalho dos colaboradores. Como consequência, os equipamentos que estão funcionando a mais para compensar podem ter redução da vida útil se não forem bem cuidados. Trata-se de um ciclo possível de ser otimizado com a manutenção preventiva.

Para entender sobre esse processo, conversamos com o diretor de negócios da Veman, empresa que faz parte do Grupo Verzani & Sandrini, Luiz Mauro Reis. De acordo com o diretor, “a manutenção preventiva é uma forma de manter os equipamentos no estado em que foram encontrados, além de permitir que eles funcionem dentro de um plano elaborado para tal”.

Como cada indústria tem suas especificidades e seus objetivos, esta manutenção deve responder a essas necessidades, e sua aplicação pede que a equipe contratada conte com bons processos, profissionais experientes e tecnologia de ponta. Na sequência, nós trazemos um cenário mais completo sobre o assunto.

Por que fazer manutenção preventiva?

Quando você tem um plano de manutenção preventiva, pode manter as máquinas em funcionamento adequado, evitando degradações e que elas parem por um longo tempo.

A prática pede prioridades pré-definidas. “A manutenção é realizada de acordo com cada equipamento e com a indicação de fabricante ou de boas práticas de mercado”, sinaliza Luiz Mauro.

“Quando uma indústria nos contrata, é porque ela já tem definido o objetivo empresarial, seja porque não pode parar ou precisa mitigar os riscos envolvidos. Agora, se esta companhia precisa de maior confiabilidade, a manutenção deve aliar técnicas preditivas à preventiva”, aconselha o diretor.

Lembrando que a manutenção preditiva consegue antever problemas a partir de softwares e ferramentas especializadas. Por isso, ela envolve um investimento maior em tecnologia, mas traz mais confiança ao processo.

Quais problemas são evitados a partir da manutenção preventiva?

Quando gestores de uma companhia optam pela manutenção preventiva, diversos riscos passam a ser evitados se a prática é feita da melhor forma. Nós falamos sobre eles abaixo.

Quebras e falhas de equipamento

Todo maquinário está sujeito a falhas em seu funcionamento, que podem dar sinais (ou não, pegando toda a equipe de surpresa). Em alguns casos, um problema se torna consequência de outro, o que piora a situação. A manutenção preventiva consegue antecipar essas possíveis falhas, permitindo que a indústria não precise parar para acionar uma manutenção corretiva de última hora.

Degradação antecipada do equipamento

A degradação acelerada das máquinas que não são submetidas a uma manutenção periódica é um fato, seja pelo acúmulo de resíduos, seja pela falta de limpeza adequada ou outros fatores. Quando você opta por processos preventivos, consegue evitar a deterioração dos equipamentos, mantendo-os no nível em que estavam logo que a manutenção começou a ser feita. 

Redução do estoque de sobressalentes

O estoque muito grande costuma gerar custos extras às empresas, por isso, reduzi-los é sempre uma preocupação. Com processos preventivos, é possível garantir a quantia de peças no tempo certo, cumprindo os objetivos da indústria de armazenar somente o essencial.

Diminuição de horas extras

Uma indústria tem suas metas e entregas comprometidas quando uma máquina deixa de funcionar. Para não existir nenhuma perda, outro equipamento acaba sendo sobrecarregado e até a equipe, fazendo horas extras para dar conta do trabalho. Na prática, isso traz um aumento na folha de pagamento que poderia ser evitado com cuidados de preservação.

Redução do tempo de parada das máquinas

É mais comum do que se imagina as empresas sofrerem com altos níveis de horas paradas de equipamento. Com isso, os custos sobem e, com eles, surgem questões de lucratividade e competitividade perante o mercado. A manutenção preventiva entende o que tem provocado esses gargalos e evita que as máquinas parem por um tempo que afete toda a cadeia.

Aumento da vida útil dos aparelhos

Pequenos defeitos deixados sem conserto acabam se transformando em um problema maior para o maquinário: a perda de vida útil. Quando existe manutenção preventiva, essas situações não acumulam, pois vão sendo solucionadas pouco a pouco, seja troca de peças, seja conserto, entre outros casos possíveis.

Riscos de segurança

Todo trabalho envolve riscos, que podem crescer se as máquinas não estiverem no melhor estado de conservação. Quando existe esse cuidado de preservação, toda a equipe pode trabalhar de maneira mais segura.

Como aplicar a manutenção preventiva em uma indústria?

Cada tipo de indústria precisa de cuidados específicos com seu maquinário. Porém, o passo a passo para a aplicação desse processo tem algumas práticas padrão para que a manutenção seja eficiente, como você vê a seguir.

Identificar o estágio dos equipamentos

Luiz Mauro explica que é necessário fazer um relatório sobre o estado em que os equipamentos se encontram quando a empresa de manutenção preventiva assume o serviço. “Aqui na Veman, chamamos de relatório de elegibilidade. É preciso realizar uma vistoria técnica com fotos e entregar para o cliente, mostrando o estado em que está e que é a partir disso que vai ser cuidado”, explica o diretor.

Apresentar o plano de manutenção

O segundo passo é traçar um plano de manutenção para cada um dos equipamentos, assim como a periodicidade das ações. Isso costuma variar entre indicação de fabricante e boas práticas de mercado.

Contratar a equipe responsável

A manutenção preventiva na indústria pede pessoal com experiência para o trabalho com cada um dos equipamentos. Essa etapa se refere à contratação. Empregar bons profissionais é uma condição essencial ao sucesso da prática.

Medir a efetividade da manutenção

Com a manutenção preventiva sendo feita, é preciso medir sua eficiência. “Existem diversos indicadores, e um deles pode ser a manutenção corretiva versus preventiva realizada, por exemplo”, conta Luiz Mauro.

Como contratar a melhor empresa?

Ao escolher uma organização terceirizada para o trabalho de prevenção, é interessante que ela faça a gestão de ativos, com processos aprimorados, equipe experiente e tecnologia orientada pela indústria 4.0, tudo com foco na preservação do patrimônio do contratante.

A Veman, do Grupo Verzani & Sandrini, trabalha com a gestão de ativos, otimizando os processos e com muita experiência em manutenção. “Contamos com bons procedimentos, profissionais altamente qualificados e capacitados, aliados à tecnologia de ponta. O corpo diretivo da empresa também é muito experiente”, explica o diretor de negócios.

A manutenção preventiva deve ser pensada de acordo com cada objetivo empresarial e pode evitar diversos riscos, como você viu. Também possibilita um padrão de entregas, pensando na satisfação dos clientes. Por fim, traz mais consciência aos gestores sobre o estado dos equipamentos, fazendo com que o planejamento para a indústria siga com boa performance.

A manutenção preventiva ajuda toda a cadeia de uma indústria, evitando quebras e degradações. Para entender melhor o que ela pode fazer por sua empresa, entre em contato com o time da Veman, do Grupo Verzani & Sandrini.

Compartilhe: