Como implementar o Planejamento e Controle de Manutenção (PCM)?

Você sabe o que é PCM e qual sua importância para a garantia de continuidade dos processos industriais? Toda empresa que opera máquinas e equipamentos deve elaborar e fazer uso dessa ferramenta estratégica de gestão.

Instrumento de aprimoramento das ações corretivas e de redução de demandas dessa natureza, o PCM é indispensável para o aperfeiçoamento dos processos. Deve ser bem elaborado e conduzido com profissionalismo.

Continue a leitura e descubra como implementá-lo em sua empresa!

O que é PCM?

Planejamento e Controle da Manutenção, mais conhecido por sua sigla PCM, pode ser objetivamente definido como um conjunto de ações estratégicas com o fim de preparar, programar e verificar os resultados de uma manutenção. No escopo da gestão industrial, é uma das peças mais importantes.

Nesse sentido, o PCM aborda os processos de manutenção do início ao fim, o que inclui diagnósticos, custos e manutenção a ser utilizada, entre outras questões. Ele realiza o gerenciamento dos serviços e o que mais estiver envolvido com a manutenção industrial de qualquer empresa.

Embora o PCM seja relacionado diretamente com uma atividade operacional, sua natureza é muito mais estratégica, pois abarca toda a responsabilidade pelo planejamento, pela execução e pela avaliação dos resultados alcançados.

Quais os pilares do sucesso do PCM?

A gestão do PCM deve considerar 3 pontos-chave que determinam o sucesso dos trabalhos com os diversos tipos de manutenção. Da mesma forma, o descuido com qualquer desses pilares ocasionará erros. Veja quais são eles na sequência!

Processos

A definição de processos de manutenção é essencial para a condução do PCM na organização. Assim, processos são formas organizadas de conduzir atividades específicas, com um início, um desenvolvimento e um fim.

Com uma abordagem por processos, é possível enxergar de modo mais claro a eficácia de cada tarefa e sua importância no contexto em que está inserida. Desse modo, consegue-se perceber gargalos, reduzir ciclos e melhorar a qualidade do processo, o que quase sempre se traduz em redução de custos.

Ativos

De modo geral, o PCM deve ser conduzido com vistas à gestão dos ativos da empresa, sobretudo daqueles mais significativos para a atividade-fim. Para isso, é preciso que sejam estabelecidos critérios de prioridade.

Deve ser considerada uma escala de criticidade para a análise de todos os ativos. A partir dos resultados dessa avaliação, podem ser definidas as técnicas e os tipos de manutenção adequados.

Pessoas

Em qualquer processo, as pessoas envolvidas constituem o principal pilar para o sucesso de sua realização. Em todos os sentidos, os colaboradores que participam das atividades de manutenção devem estar muito bem preparados.

Além disso, é essencial que estejam sob uma liderança efetiva, capaz de manter a motivação em alta. Por fim, precisam constituir uma equipe bem dimensionada para as tarefas que deverão desempenhar.

Qual sua importância?

A eficiência da produção de uma empresa depende, necessariamente, de um sistema de gestão bem estruturado. Nesse sentido, o PCM atua com a perspectiva de garantir a melhor gestão dos ativos da organização.

A importância essencial do PCM pode ser resumida na redução de desperdícios. Estes, por sua vez, podem residir na utilização da mão de obra, no tempo utilizado nos processos ou nos materiais consumidos.

O PCM também é essencial no aspecto segurança. Considere os riscos pessoais e ambientais de um acidente se, por exemplo, houvesse falha na manutenção de equipamentos que operam resíduos industriais.

Destacamos os seguintes benefícios que o PCM propicia:

  • aumento da produtividade;
  • melhoria na qualidade dos produtos;
  • segurança para os colaboradores;
  • redução de reparos emergenciais;
  • redução de custos.

Como fazer um bom PCM?

Um PCM eficaz realiza suas previsões e garante o melhor desempenho dos equipamentos e do maquinário industrial. Para isso, no entanto, deve ser elaborado de forma organizada e por meio de procedimentos sucessivos concatenados. Saiba mais sobre eles a seguir!

Levantamento de informações

Como diz uma das máximas da Administração: “Não se gerencia o que não se conhece”. Para a elaboração de um bom PCM, pode-se estender o conceito à necessidade de estar muito bem informado para elaborar um bom planejamento de manutenção.

Assim, o primeiro passo consiste em coletar, de modo objetivo, o máximo de informações sobre as manutenções corretivas realizadas. Uma estratégia eficiente é utilizar as ordens de serviço de manutenção cujos dados serão posteriormente tratados e analisados.

Análise de falhas

Uma vez obtidos os dados referentes às manutenções corretivas realizadas, devem ser levantadas as falhas observadas naqueles procedimentos anteriores. Com isso, é possível obter uma visão aprimorada das condições de manutenção reinantes.

Assim, com o conhecimento necessário da situação e de suas fragilidades, pode-se partir para a elaboração do planejamento. Consolidar as informações levantadas e identificar as suscetibilidades existentes permite se programar objetivamente em função da realidade.

Planejamento

Essa fase é a mais importante do PCM. Nela, o principal objetivo é elaborar os planos de manutenção preventiva e preditiva. Deverão ser observados os seguintes aspectos essenciais:

  • elaboração do cronograma de manutenção;
  • definição da programação de parada;
  • elaboração da instrução de serviço para as manutenções.

Ao mesmo tempo, deverá ser considerada a disponibilidade dos recursos necessários. Os principais são:

  • mão de obra;
  • reuniões e treinamentos;
  • peças de reposição;
  • ferramentas;
  • materiais diversos.

Implementação

Considere que o PCM tem como meta garantir que as operações de produção tenham continuidade a partir da possibilidade do aproveitamento máximo de máquinas e equipamentos. Para isso, as falhas já foram levantadas, observando-se as demandas por manutenções corretivas, e o planejamento elaborado.

Chegou a hora de implementar as tarefas de manutenção preventiva/preditiva, como inspeção, limpeza, lubrificação, ajuste e substituição, entre outras. Uma operação baseada em um plano fundamentado nas avaliações anteriores possibilita a eliminação de falhas existentes, reduzindo ciclos e aprimorando processos.

Controle

Todas as ações delineadas precisam ser avaliadas quanto ao resultado que apresentaram. Essa é a fase de controle, indispensável para que a empresa seja mantida dentro dos padrões previstos pelo PCM.

Para a realização do controle, utilizam-se os indicadores anteriormente definidos, que validarão as medidas previstas pelo PCM. Para isso, foi identificada a existência de falhas, feito o planejamento dos caminhos a seguir e a adoção das soluções propostas.

Rotina de melhorias contínuas

Enquanto as ações de controle identificam o andamento da implementação do PCM, inicia-se uma nova fase no processo: a implantação de uma rotina de melhorias contínuas. Nesse sentido, trata-se da constatação de que não há plano perfeito e que sempre algo pode ser aprimorado.

Assim, nos pontos em que os indicadores apontarem novas demandas, adequações devem ser introduzidas. Esse é um processo constante e que consolida o PCM.

O PCM é indispensável para garantir uma boa disponibilidade das máquinas e dos equipamentos da empresa, melhorar o desempenho dos colaboradores e aprimorar as rotinas de produção.

Gostou deste conteúdo? Sugerimos que assine nossa newsletter e saiba tudo o que você precisa sobre manutenção industrial!

Compartilhe: