5 formas efetivas e seguras de fazer redução de custos na manutenção!

A redução de custos na manutenção é um dos principais desafios das empresas. Aliás, o bom gerenciamento dos gastos tem se tornado uma grande vantagem competitiva no mercado, que não permite mais que os erros se perpetuem. Assim, utilizar os recursos de maneira eficiente garante às instituições a implementação de melhorias e busca constante por inovação.

Afinal, é isso que o consumidor final deseja. Um bom produto ou serviço, por um ótimo custo-benefício. Na indústria, é impossível falar de custos e não pensar na gestão de manutenção. 

Neste artigo, você vai descobrir porque esses dois aspectos estão diretamente ligados e como isso impacta na rentabilidade do seu negócio. Quer saber mais? Continue a leitura e descubra também 5 dicas de redução de custos!

O que são custos?

Primeiramente, é importante esclarecer o conceito do termo. Isso porque alguns pensam que custos e despesas são a mesma coisa e isso é um equívoco. Por isso, saiba que os custos estão atrelados à produção ou à prestação de um serviço. As despesas, por sua vez, referem-se à parte administrativa.

Ainda, tanto um quanto o outro podem ser fixos ou variáveis. Sendo fixos àqueles que ocorrem periodicamente e variáveis os que acontecem esporadicamente. Nesse sentido, os gastos relacionados à manutenção de máquinas e equipamentos são classificados como custos, pois impactam diretamente na produção e na prestação de serviços.

Qual a importância do monitoramento e da redução de custos?

O monitoramento e a consequente redução de custos no gerenciamento dos processos de manutenção são extremamente importantes para a indústria e envolvem muito planejamento estratégico.

Logo, é preciso ter em mente que a gestão de manutenção é feita de três maneiras:

  • preditiva: utiliza técnicas e ações de monitoramento e inspeção de máquinas para determinar seu nível de performance;
  • preventiva: implementa um cronograma com reavaliações constantes de equipamentos e evita que eles parem;
  • corretiva: ocorre quando a máquina já demonstra falhas em sua capacidade, ou seja, é mais onerosa.

Esses três modelos de manutenibilidade trazem consequências para os custos. A manutenção corretiva, por exemplo, além de ser feita com urgência e ser mais cara, impacta na quantidade produzida, ou seja, prejuízo nos custos que são elevados e na receita que diminui.

Portanto, é necessário que a empresa saiba qual é o modelo de manutenção mais adequado para o seu contexto e aplique as técnicas necessárias para minimizar os danos. As três modalidades podem ser empregadas em conjunto. No entanto, é recomendado evitar ao máximo que um equipamento chegue até a manutenção corretiva.

5 dicas para reduzir os custos de manutenção

Agora que você já conhece alguns conceitos e entendeu o quanto a manutenção é fundamental para a estratégia do negócio, é hora de aprender algumas dicas práticas para reduzir os custos desse setor. Acompanhe!

1. Fazer manutenção preventiva

A manutenção preventiva evita inúmeros transtornos e custos desnecessários quando o planejamento estratégico é baseado no monitoramento do desempenho de maquinário e revisões periódicas são adotadas. 

Por isso, estabelecer a manutenção preventiva na cultura de processos ajuda a determinar quando os gastos acontecerão e faz com que eles sejam eficientes.

2. Realizar um mapeamento de custos

Outra técnica interessante para reduzir custos é realizar um mapeamento. Ao entender exatamente onde os recursos estão sendo alocados e o porquê, fica mais fácil acabar com gargalos e pensar em soluções e inovações para aumentar a eficiência dos equipamentos.

3. Treinar a equipe

Uma equipe bem treinada é capaz de identificar problemas antes mesmo deles se concretizarem. Além disso, a capacitação faz com que as pessoas utilizem e zelem pelas máquinas da maneira correta. Assim, entender o seu funcionamento é tão importante quanto realizar a manutenção preventiva ou preditiva.

4. Investir em tecnologia

A tecnologia é uma aliada e tanto na redução de custos. Para tanto, existem técnicas, inovações e indicadores de desempenho que são acompanhados ao longo do tempo para determinar níveis de desgaste, depreciação, periodicidade de reparos e consertos. Tudo isso de maneira automatizada e rápida.

5. Terceirizar alguns serviços

A terceirização é uma alternativa vantajosa para algumas empresas. Cuidar da manutenção de forma eficaz exige preparo, qualificação, mão de obra e ferramentas adequadas. Por isso, muitas vezes, é melhor terceirizar o serviço e deixar que uma especializada, que já tenha experiência no mercado, cuide de toda essa parte. O custo-benefício é muito atrativo nessa solução.

Quais os benefícios da redução de custos na manutenção?

Em muitas situações, a redução de custos está ligada à diminuição de eficiência. No entanto, essa não é a proposta. A ideia é acabar com gastos desnecessários e avaliar o custo-benefício dos processos de manutenção para chegar a alternativas eficazes, que aumentem a agilidade e a capacidade produtiva e não diminua os lucros. 

Nesse contexto, pode parecer difícil atingir esse objetivo, mas com planejamento e organização é fácil ver os resultados no médio e longo prazo. A seguir, veja benefícios da redução de custos!

Acabar com o desperdício

O principal foco da contenção de gastos referente à manutenção deve ser acabar com os desperdícios. Portanto, é preciso fazer um levantamento detalhado do orçamento do setor e entender onde os recursos estão sendo empregados

Nesse sentido, vale analisar se existe paralisação de maquinário frequentemente por problemas de manutenção ou demora na correção dos defeitos, ou, ainda, se os equipamentos estão funcionando com sua plena capacidade produtiva.

Eliminar gargalos

Máquinas que provocam grande número de retrabalhos ou geram produtos com defeitos são ocorrências que devem ser acompanhadas de perto e solucionadas o mais rápido possível. Esse é o tipo de gargalo, além de gerar custos desnecessários, ainda derruba a qualidade e a capacidade produtiva.

Automatizar processos

As inovações tecnológicas permitem que inúmeros processos sejam automatizados. Assim, as máquinas emitem sinais, por meio de sensores, avisando que o desempenho está instável. Desse modo, em casos de automação avançada, a própria máquina soluciona o problema a partir de comandos preestabelecidos.

Como vimos, a redução de custos na manutenção depende de um planejamento adequado, organização e mudança da cultura organizacional, que deve se voltar para o ganho de eficiência e se aliar à tecnologia para tornar os processos mais ágeis e baratos.

O conteúdo foi útil? Compartilhe esse conhecimento e as dicas nas suas redes sociais! 

Compartilhe: