8 dicas para ter um bom relacionamento com os fornecedores

Se você faz parte de uma empresa deve saber o quanto bons fornecedores influenciam na qualidade dos produtos, serviços e na satisfação dos clientes. As verdadeiras parcerias permitem que a produção seja contínua e mantenha o padrão.

No entanto, construir boas relações leva tempo e é preciso estabelecer alguns critérios e seguir determinadas regras. Afinal, é necessário que a ligação traga benefícios mútuos e tenha como base a confiança.

Cumprir os prazos, deixar os canais de comunicação abertos e saber negociar são pontos cruciais no desenvolvimento saudável desse tipo de acordo. Quer saber por que manter um bom relacionamento com fornecedores e como fazê-lo? Leia este post e descubra agora!

Por que manter um bom relacionamento com fornecedores?

Os fornecedores são um dos principais agentes responsáveis pelo sucesso de uma empresa, já que podem oferecer os melhores produtos e serviços, com bom prazo de entrega e ótimas condições de pagamento, além de ajudarem a produção quando, de última hora, por motivos diversos, falta algum insumo.

Saber valorizar e satisfazer os clientes é importante, mas fazer isso com os parceiros comerciais traz todo suporte para que o produto final seja o melhor. Negociar é uma arte, no livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas”, Dale Carnegie fala sobre isso.

Às vezes, é preciso abrir mão de algumas certezas, porém, é importante saber onde quer chegar e quais resultados pretende alcançar. Negociações e parcerias feitas baseadas em confiança e ganho recíproco são mais duradouras e consistentes.

Empresas bem-sucedidas priorizam a qualidade em detrimento do preço, mas sabem barganhar por prazos melhores. Assim, conseguem manter uma cadeia de suprimentos eficiente e fazem uma boa gestão de capital de giro.

O que fazer para esse bom relacionamento dar certo?

É provável que você pense: “Ok! É fácil falar, mas como ter realmente um bom relacionamento com os meus fornecedores?”. Separamos 8 dicas para você! A maioria delas é possível usar com colaboradores, gerentes e supervisores para manter a qualidade da comunicação e o engajamento da sua equipe. Confira!

1. Crie relações de parceria

A primeira dica parece óbvia, mas não é. Ninguém gosta de se sentir usado, nem pessoas, muito menos empresas. Todos se empenham mais quando sentem que fazem parte de algo maior. As parcerias servem para isso, incluir todas as partes nos processos, ressaltando a importância de cada uma delas.

Despertar o senso de cooperação nos colaboradores é indispensável, mas fazer isso com os fornecedores é extremamente relevante. Eles precisam assimilar a ideia de que os ganhos do seu negócio também serão os ganhos deles e contribuir efetivamente para que isso aconteça.

2. Deixe os canais de comunicação abertos

Um dos fatores primordiais para se construir e preservar boas relações é a comunicação. É por meio dela que as partes tomam conhecimento de insatisfações, cobranças e bons resultados. Essa interação, atualmente, pode acontecer por meio de diversos canais.

A tecnologia proporcionou a comunicação praticamente imediata. Então, use todos os meios disponíveis a seu favor: e-mail, telefone, aplicativos de mensagens instantâneas e quaisquer outros que você julgar eficiente. Ainda, é importante sempre praticar uma escuta ativa e pensar soluções conjuntas para possíveis contratempos.

3. Aposte na transparência dos processos

A transparência gera credibilidade. É difícil confiar em instituições que não têm clareza nos seus processos e, até mesmo, em suas decisões. Por isso, se quer ganhar a confiança dos seus fornecedores e estabelecer um relacionamento duradouro, seja sincero.

Para tanto, estabeleça prazo e os cumpra, faça solicitações claras, não deixe para fazer um pedido de última hora, a menos que seja um caso de urgência. Surgiu alguma dúvida sobre valores ou quantidades, pergunte. Trata-se de atitudes simples, mas que demonstram transparência e honestidade.

4. Alinhe os valores

Escolha fornecedores que tenham procedimentos alinhados com os da sua marca. Ainda, com mesmos valores e princípios. Você não quer ver o nome da sua empresa envolvido em assuntos com os quais não compactua, certo? Hoje, os clientes estão de olho, não só no produto, mas de onde ele vem e como foi produzido.

Logo, busque parceiros que tenham a mesma visão de mercado e agreguem valor ao seu produto. Fique atento às origens dos insumos, às questões ambientais e à sustentabilidade. Esses fatores podem até custar mais, no entanto, para o consumidor final, aquele que é consciente, vale a pena pagar.

5. Determine indicadores-chave de desempenho

Todos os setores dentro de uma instituição passam por análises, bem como os fornecedores também devem passar. Por isso, é importante determinar quais são os indicadores relevantes na tomada de decisão.

Feito isso, faça uma avaliação mensal para identificar alterações e pontos discrepantes. Assim, fica mais fácil detectar problemas, como variações anormais de preços, prazos de entregas não cumpridos, entre outros.

6. Negocie condições

A negociação efetiva de preços e prazos é o momento que mostra como o relacionamento construído com os fornecedores foi bem efetivado. No entanto, antes de procurá-los para negociar, conheça bem seu fluxo de caixa, capital de giro e os prazos praticados pelos seus clientes.

Depois, quando estiver ciente de suas condições, ouça com atenção as propostas dos fornecedores. A partir de então, as duas partes podem fazer concessões até que o acordo fique satisfatório para ambas.

7. Entenda que preço não é tudo

Preço é importante, mas não é tudo. Lembre-se do ditado: “o barato, às vezes, sai caro”. Portanto, priorize custo-benefício, por exemplo, um fornecedor oferece um insumo de qualidade inferior e mais barato, já outro, com o qual você já trabalha algum tempo e sabe da qualidade, tem um preço levemente mais elevado. Nesse caso, além da qualidade existe o fator da parceria ser de longo prazo.

8. Pense em longo prazo

Para manter bons relacionamentos com os fornecedores é preciso considerá-los em longo prazo. Não os trate como só mais um ou de qualquer maneira. Entenda que eles são seus parceiros e, se os seus clientes estão satisfeitos ou as vendas aumentaram, é também graças a eles.

Relações profissionais ou pessoais enfrentam crises e instabilidades, contudo os que perduram são aquelas que resistem e se adaptam ao momento. Relacionamentos com fornecedores seguem essa mesma lógica. No entanto, é preciso que haja o interesse de ambas as partes para que a parceria dure e dê bons resultados.

O conteúdo foi útil? Então, que tal aprender mais sobre terceirização de serviços? Baixe agora nosso e-book e descubra os benefícios!

Compartilhe: