Como definir a capacidade produtiva da sua equipe?

A máxima “tempo é dinheiro”, muito famosa no mundo corporativo, só se torna verdadeira quando está aliada a um dos fatores mais importantes da indústria moderna: a produtividade.

O ritmo de produção influencia diretamente o rendimento financeiro da empresa e pode ser determinante no planejamento geral, especialmente para a gestão dos recursos e as perspectivas de expansão.

Por isso, conhecer a capacidade produtiva da equipe é fundamental, independentemente da área de atuação ou tamanho da empresa. Afinal, essa informação é valiosa para a tomada de decisões na indústria 4.0.

Quer saber mais sobe isso e, de quebra, aprender a definir a capacidade produtiva da sua equipe? Continue a leitura!

O que é capacidade produtiva?

De maneira simples, capacidade produtiva é a quantidade máxima de itens que a empresa consegue produzir em condições normais e com os recursos disponíveis, por um período de tempo determinado.

O cálculo da capacidade produtiva deve considerar não apenas a estimativa teórica do fabricante dos equipamentos utilizados no processo de produção, mas também outros fatores importantes, como o tempo utilizado:

  • na preparação das máquinas;
  • para o aquecimento dos componentes;
  • nas paradas obrigatórias;
  • para a limpeza, descontaminação ou manutenção.

Além disso, a área de produção e logística costuma considerar que a capacidade produtiva pode ser dividida em 4 tipos:

  • a capacidade instalada, relacionada com a produtividade máxima sem considerar as perdas;
  • a capacidade disponível, de acordo com os recursos disponíveis no momento;
  • a capacidade efetiva, que leva em conta apenas perdas previsíveis, como paradas programadas;
  • a capacidade realizada, que considera perdas não previsíveis que impactam a produção.

Dependendo da área de atuação da empresa, a capacidade produtiva é calculada em determinada medida: toneladas por dia, unidades por ano, clientes atendidos por mês ou até mesmo litros por hora. A quantidade que a equipe é capaz de produzir sempre deve estar atrelada à unidade de tempo considerada, seja ela horas, dias, meses ou ano.

Porém, é importante entender que a capacidade produtiva difere do volume de produção: enquanto a primeira quantifica o máximo que pode ser produzido, o segundo registra o que realmente se produz.

Qual a importância de conhecer a capacidade produtiva da equipe?

Assim como outras métricas da empresa, a capacidade produtiva é um recurso importante para os gestores, que precisam analisar não apenas cada setor, mas a organização como um todo.

Uma das maiores utilidades dessa informação é estimar a demanda do mercado pelo produto ou serviço oferecido, considerando o interesse do consumidor, as condições econômicas e sociais do momento e a concorrência.

Desses dados, pode-se extrair a previsão de vendas e rendimentos futuros e definir uma linha de tempo da produção, concentrando os recursos materiais e pessoais nas áreas mais lucrativas.

Além disso, existem diversas vantagens em calcular, acompanhar e avaliar a capacidade produtiva da equipe periodicamente, como:

  • maior facilidade na hora de definir metas em curto, médio e longo prazo;
  • melhora na produtividade;
  • maior clareza na hora de identificar pontos de melhoria na produção;
  • maior precisão na análise de falhas;
  • maior controle dos níveis de estoque;
  • favorecimento da logística da produção.

A capacidade produtiva ideal é aquela que utiliza de forma racional e sustentável os recursos disponíveis, é constante em longo prazo, considera os limites da equipe e se mantém alinhada à demanda do mercado.

Como definir a capacidade produtiva?

Antes de mais nada, para calcular a capacidade produtiva de uma empresa ou equipe, é necessário definir a forma de medir a produção (de acordo com os produtos ou serviços oferecidos) e a unidade de tempo que se aplica ao caso (horas, dia, semana, mês, ano).

Além disso, é necessário determinar quais dados serão avaliados: se o pico de capacidade ou a produção média da empresa.

Definidos os parâmetros, é hora de coletar dados e medir a capacidade produtiva. A seguir, confira os passos necessários para chegar ao resultado final:

  1. Quantifique a produção: verifique o número de produtos obtidos após uma hora de trabalho, ou quantos serviços podem ser prestados em uma hora.
  2. Calcule o tempo produtivo: multiplique o número acima pelo tempo de trabalho em um dia útil para obter o rendimento por dia.
  3. Meça as perdas: registre o tempo ocioso, as paradas para manutenção, defeitos no maquinário, ausência de pessoal e outras interrupções que interferem na produção.
  4. Calcule a eficiência: determine a capacidade produtiva após computadas as perdas para chegar à média de produtividade da equipe.

Existem outros indicadores que podem influenciar, direta ou indiretamente, o resultado final. A demanda do mercado, a disponibilidade de matéria-prima, problemas no estoque, custo de armazenagem e até variações sazonais podem aumentar ou diminuir a capacidade produtiva da empresa, e isso deve ser considerado no planejamento estratégico.

Como aumentar a capacidade produtiva?

Ao verificar que a capacidade produtiva da empresa está abaixo da ideal, a primeira atitude do gestor deve ser buscar maneiras de aumentar a produtividade. Para isso, existem diversas estratégias que podem ser aplicadas isoladamente ou em conjunto:

  • adicionar mais turnos de produção;
  • terceirar uma parte do processo produtivo;
  • utilizar o maquinário por um período maior de tempo;
  • adquirir mais equipamentos;
  • controlar o estoque com maior rigor;
  • otimizar os processos de logística;
  • diminuir o tempo ocioso;
  • rever as técnicas de gestão empregadas.

Qual é o papel da manutenção neste processo?

Além de todas as estratégias que envolvem o bom uso dos recursos materiais e a administração eficiente dos processos, existe um fator primordial que deve ser avaliado de forma transparente e justa para aumentar a capacidade produtiva da empresa: a produtividade da equipe.

Além de estabelecer metas compatíveis com a capacidade produtiva máxima do setor, é fundamental desenvolver programas de conscientização junto aos funcionários e colaboradores, para que cada um saiba de sua responsabilidade pessoal dentro do grupo. Dessa forma, a manutenção tem um papel tanto fiscalizador quanto orientador neste processo.

Outro ponto que não deve ser negligenciado é o investimento em treinamentos e capacitação, tanto para diminuir desperdícios e aumentar a produtividade quanto para otimizar os processos dentro de cada setor.

Afinal, os recursos humanos são ativos fundamentais em qualquer organização, e todos que participam dos processos de produção são beneficiados quando a empresa atinge ou supera seus objetivos: de recompensas financeiras (como bônus e aumento de salário) a promoções dentro da hierarquia.

Gerenciar de forma efetiva a capacidade produtiva da empresa envolve entender as limitações do maquinário e equipamentos disponíveis, considerar as habilidades da equipe, aprimorar o processo produtivo e estar em constante acompanhamento da logística.

Combinar todos esses fatores aumenta a eficiência produtiva e permite utilizar de forma racional os recursos, diminuindo os riscos associados à demanda do mercado e ao armazenamento da produção.

Quer se aprofundar no tema de capacidade produtiva? Entenda, em seguida, a importância de investir na capacitação de seus colaboradores.

Compartilhe: