Como implantar a cultura de segurança dentro da empresa?

Uma cultura de segurança constitui hábitos, atitudes e comportamentos que têm como objetivo diminuir os riscos de segurança no ambiente de trabalho. Isso é fundamental para garantir a proteção e a integridade física dos colaboradores e clientes.

Neste artigo, ajudaremos você a compreender como implementar a cultura de segurança na empresa. Portanto, fique atento para descobrir mais informações sobre o assunto e aproveitar dicas que poderão ser colocadas em prática o quanto antes. Boa leitura!

Por que é fundamental implementar a cultura de segurança?

Quando a empresa se dedica a transformar as práticas de segurança em hábitos internalizados, os colaboradores passam a tomar decisões e atitudes de maneira mais segura, evitando acidentes no ambiente de trabalho. Uma das primeiras consequências disso é uma queda expressiva no número de afastamentos em função de problemas ocorridos na empresa.

Com menos pessoas machucadas em função desses episódios, a produtividade dos times aumenta e o seu desempenho também. Acidentes de trabalho frequentes deixam os profissionais com medo e apreensivos, o que também acaba impactando a execução do seu trabalho diário.

Esses episódios não deixam de acontecer, mas certamente ocorrem com menor frequência. Nesses casos, os colaboradores sabem como agir para conter as consequências e diminuir a gravidade do problema. Em geral, isso contribui para reduzir a sensação de insegurança.

É claro que, para isso, leva algum tempo. Mas é importante ter paciência para que o processo conquiste o engajamento das pessoas, que será gradativo. Apesar disso, todos colherão ótimos benefícios dessa mudança.

Como implementar a cultura de segurança?

Agora você vai conferir alguns passos que vão colaborar para instituir uma cultura de segurança na empresa.

Faça uma análise de riscos

Um dos passos mais importantes ao implementar uma cultura de segurança é reconhecer quais são os fatores que colocam os colaboradores em perigo. Assim, é preciso analisar sua rotina de trabalho e evidenciar os pontos que serão prioridade no plano de ação.

Realize treinamentos

Os treinamentos também são parte fundamental de uma cultura de segurança. Eles preparam os colaboradores para saber o que estão fazendo em relação às ações preventivas — o que é realizado por meio de conversas diárias, palestras, discussões e ações promovidas pela CIPA.

Além disso, também são meios muito eficientes para orientar as equipes sobre o que deve ser feito em situações emergenciais, reduzindo os riscos de maneira preventiva e atuando contingencialmente frente a perigos inevitáveis. Portanto, essa atualização deve fazer parte do plano de segurança da empresa.

Monte um plano de segurança

O próximo passo é montar um plano de segurança, com programas e políticas feitos exclusivamente para aumentar a proteção no trabalho. Isso deve incluir todos os profissionais, contando com o apoio tanto dos gestores quanto dos colaboradores.

Não se esqueça de que uma cultura de segurança eficiente inclui também os aspectos psicológicos, como a criação de novos hábitos e atitudes. Portanto, é preciso desempenhar um papel de conscientização em relação à prevenção de acidentes.

Adote tecnologias de segurança

A tecnologia também pode ser uma boa aliada do seu plano de segurança, seja para elaborar esse planejamento, para documentá-lo ou mesmo para fornecer treinamentos às equipes. Com métodos intuitivos e digitais, é possível facilitar o gerenciamento das iniciativas e ainda cativar o engajamento dos trabalhadores.

A empresa também pode adotar um software de segurança de trabalho, que ajuda a mensurar e acompanhar os índices de acidentes, assim como a implementação de ajustes e melhorias. Essa também é uma forma eficiente de centralizar a emissão de laudos e relatórios sobre o assunto.

Corrija os erros

Uma cultura de segurança não está livre de erros. Por isso, as condutas inadequadas devem ser acompanhadas de perto, justamente para que a sua identificação ocorra de forma ágil, assim como as correções necessárias. É importante nunca deixar as ocorrências sem solução.

Ainda que as falhas sejam pequenas e suas consequências não pareçam tão graves, é preciso fazer algo a respeito imediatamente. Primeiro, porque elas podem se agravar com o passar do tempo e, segundo, para deixar claro aos colaboradores que a empresa se importa com isso.

Conte com uma liderança ativa

Em muitos negócios, é comum que os líderes não tenham uma postura adequada em relação às normas de segurança, mesmo quando eles deveriam assumir a posição de exemplo em termos de conduta. É preciso contar com uma liderança ativa e responsável, que se preocupe e se dedique à proteção do colaborador, começando por ele mesmo.

Quanto mais comprometida for a liderança, mais os trabalhadores se sentirão confiantes em segui-la, entendendo que a segurança não é só uma questão de prioridade, mas um pilar da cultura do negócio. Por isso, incentive a participação direta em treinamentos de segurança, assim como nas atividades propostas e no estímulo à participação das equipes.

Simplifique os processos

Não adianta instituir uma série de programas internos, se todos eles são confusos, complexos ou difíceis de seguir. A segurança do trabalhador é algo que deve estar alinhado à sua rotina de trabalho, integrado às suas atividades diárias. Portanto, simplifique os processos e a gestão.

Certifique-se de que todos entenderão as orientações e compreenderão como os programas funcionam. Além disso, seja bastante didático ao orientar sobre as condutas esperadas, assim como sobre o quanto a empresa valoriza um trabalho seguro, antes de qualquer coisa.

Com todos esses cuidados, é possível instituir uma cultura de segurança eficiente, que atenda às principais demandas e possa ser monitorada constantemente, a fim de corrigir eventuais desajustes que se apresentem.

A cultura de segurança também está relacionada com as condições de lucratividade do negócio, já que cria condições para os trabalhadores exercerem suas funções com mais motivação, o que melhora seu desempenho, a qualidade do trabalho, a satisfação dos clientes e, consequentemente, o lucro da empresa.

A diminuição dos riscos em si também é muito benéfica. Uma empresa que negligencia essa gestão pode acabar respondendo judicialmente por quaisquer danos sofridos pelos colaboradores em função de acidentes de trabalhos, o que aumenta consideravelmente os custos do negócio e impacta negativamente a imagem da empresa.

Agora chegou a sua vez de colocar todas essas dicas em prática para reduzir os riscos e melhorar a segurança na empresa. Com o tempo, isso passará a se tornar parte da cultura organizacional, sendo um valor transferido entre as gerações de profissionais.

E já que você está por dentro da cultura de segurança, que tal acompanhar outros assuntos e conteúdos do seu interesse? Siga-nos no Facebook e LinkedIn e fique por dentro de todas as nossas publicações!

Compartilhe:
chat on-line
Olá, tudo bem?

Como posso te ajudar?

chat on-line
pt_BRPortuguese