Quais são as principais despesas ordinárias de condomínio e como reduzí-las?

EFD Reinf para condomínios: entenda mais sobre o assunto

Salários, impostos, taxas e manutenções: esses são apenas alguns dos gastos que compõem as despesas ordinárias de condomínio. Pensando neles, aproveitamos o momento para elaborar este conteúdo completo sobre o tema.

Assim como qualquer outro empreendimento, os condomínios exigem uma gestão financeira impecável, pautada na transparência, organização e responsabilidade. Nesta leitura, você descobrirá formas práticas de economizar sem abrir mão da eficiência, segurança e produtividade. Então, não perca tempo e confira!

Qual a diferença entre despesas ordinárias e despesas extraordinárias?

Como sugere o nome, as despesas ordinárias são aquelas previstas no orçamento como gastos inerentes à operação de um condomínio, ou seja, todos os custos rotineiros e indispensáveis para a manutenção plena de um conjunto residencial.

Aqui, podemos usar como exemplos o salário dos colaboradores, os impostos, as taxas de consumo, os valores pagos aos prestadores de serviço, as mensalidades com seguros, as manutenções preventivas, os custos administrativos, os encargos e por aí adiante.

Por outro lado, existem as despesas extraordinárias que, por falta de organização, planejamento e reserva, costumam ser as grandes vilãs condominiais. Como sugere o nome, as despesas extraordinárias são aquelas que fogem do normal, podendo surpreender o caixa da gestão.

Na maioria das vezes, as despesas extraordinárias são imprevistos infelizes para a gestão do condomínio, como a realização de reparos complexos e emergenciais, a renovação de equipamentos, custos jurídicos e afins.

Por outro lado, também podem surgir despesas extraordinárias planejadas, isto é, que fogem ao orçamento normal, mas que já foram previstas com alguns meses de antecedência por uma boa gestão. Esse é o caso de reformas, benfeitorias e afins.

Portanto, essa é a distinção clara dos dois tipos de despesa. As ordinárias são rotineiras e fundamentais ao funcionamento pleno e contínuo do condomínio. Já as extraordinárias são as que fogem à normalidade do orçamento, e que dificilmente se repetem nos meses seguintes.

Além disso, é importante entender a diferença entre despesas fixas e variáveis. As próprias despesas ordinárias apresentam essas duas subcategorias. Como sugere o nome, as despesas fixas não alteram seu valor com o tempo, enquanto as variáveis se alteram de acordo com alguma condição.

O exemplo mais comum de despesa variável são as contas de consumo, como água, eletricidade e gás. Em todos esses casos, o custo varia conforme o consumo no período observado. Já as despesas fixas são absolutamente previsíveis, como faturas de internet, salários tabelados e afins.

Quais as principais despesas ordinárias de condomínio?

Anteriormente, listamos resumidamente o conjunto de despesas ordinárias que compõem o orçamento de um condomínio. A seguir, abordamos os exemplos em mais detalhes. Dê uma olhada!

Folha salarial

Todo condomínio precisa de uma equipe qualificada, competente e responsável em relação à sua manutenção. Para as gestões que preferem contratar em vez de terceirizar, a folha salarial costuma ser um dos maiores drenos do orçamento, principalmente se considerarmos equipes grandes e com muito tempo de casa.

Impostos

Como os síndicos bem sabem, condomínios também estão sujeitos a impostos, principalmente se seguem o modelo de contratação CLT. Entre os principais tributos, destacamos recolhimentos como:

  • Contribuição para Financiamento da Seguridade Social, o COFINS;
  • Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, o FGTS;
  • Programa de Integração Social, o PIS/PASEP;
  • Instituto Nacional do Seguro Social, o INSS;
  • Contribuição Sobre o Lucro Líquido, o CSLL;
  • Imposto Sobre Serviço, o ISS.

Faturas de consumo

Tanto a gestão como a manutenção condominial exige o consumo de alguns serviços específicos, como água, eletricidade, internet, gás, telefonia e afins. Todas essas despesas ordinárias e, geralmente, variáveis, entram na categoria de faturas de consumo.

Pagamentos a prestadores de serviço

Essa é a aba de despesas comum para as gestões que preferem terceirizar a equipe, já que essa é uma das formas mais eficazes de promover a redução de custos na manutenção. Nesse ponto, destacamos a contratação periódica de profissionais e empresas para a realização de serviços específicos.

Seguros

Essa é uma das despesas mais importantes se considerarmos o conceito da prevenção financeira. As apólices de seguro são investimentos fundamentais para a saúde orçamentária de um condomínio, visto que protegem a gestão de vulnerabilidades econômicas e momentos emergenciais.

Manutenções preventivas

Melhor que gastar com reparos e procedimentos corretivos é atender a um calendário de inspeções programadas. As manutenções preventivas oferecem esse tipo de previsibilidade, tornando-se uma parte recorrente do orçamento e contribuindo para a redução de gastos extraordinários no longo prazo.

Custos administrativos

Nesse ponto, destacamos despesas comuns na rotina administrativa, como papel, cartuchos de impressoras, canetas, grampos, fitas e afins. Além disso, é possível incluir outras despesas, como contas de streaming para os televisores das áreas comuns, itens para salões de festa, cinema, academia e afins.

Como a terceirização de serviços pode ajudar o condomínio a economizar?

Por último, mas não menos importante, vale a pena explicar como é possível economizar por meio da terceirização, sobretudo em áreas como segurança e limpeza. Atualmente, boa parte da capacidade produtiva de um condomínio pode ser terceirizada por uma empresa competente da área.

Assim, a gestão não precisa se preocupar com a seleção de profissionais, pois essa etapa já foi realizada com todos os critérios de qualidade e segurança pela empresa responsável pelo recrutamento e terceirização. Além disso, a modalidade também se monstra muito mais econômica. A comparação é simples.

Na contratação CLT, o condomínio se responsabiliza pelo pagamento da folha salarial, assim como de todos os vales, encargos trabalhistas e demais impostos inerentes à modalidade. Na terceirização, o custo é consideravelmente menor, pois está mais direcionado à remuneração do prestador do serviço.

Além disso, essa economia pode ser escalada, bastando avaliar o número de vagas que sairão da CLT para serem ocupadas pela terceirização. Quanto maior o percentual de funções terceirizadas, maior a probabilidade de que o condomínio esteja economizando no pagamento da sua equipe.

Por fim, vale notar que a terceirização oferece maior flexibilidade à gestão, pois vale a pena tanto para vagas de maior duração — profissionais de limpeza, vigia, vigilante e porteiro — como para as vagas mais esporádicas, geralmente no campo da manutenção.

Agora que você sabe que a modalidade pode enxugar seus custos, vale entender como nós podemos ajudar a sua gestão. A Verzani & Sandrini tem mais de cinco décadas de atuação, sendo a referência máxima na terceirização de profissionais para a segurança, tecnologia, limpeza e manutenção de condomínios, hospitais, shoppings, indústrias e demais segmentos.

Portanto, não perca a oportunidade de trabalhar com uma empresa absolutamente especializada em qualificar a sua gestão. Para reduzir as despesas ordinárias do seu condomínio, basta entrar em contato e conhecer as nossas soluções!

Guia prático sobre como garantir uma boa limpeza em condomínios
Compartilhe:
chat on-line
Olá, tudo bem?

Como posso te ajudar?

chat on-line
pt_BRPortuguese