Você sabe o que é a manutenção corretiva? Entenda a fundo neste post!

A manutenção corretiva é uma das estratégias adotadas para manter máquinas e equipamentos em pleno funcionamento. Embora ainda seja aplicado, esse não é o tipo mais indicado de manutenção para ser adotado como o principal por uma empresa.

É verdade que a manutenção corretiva tem suas vantagens e que, em muitos momentos, é indispensável, principalmente quando ocorrem imprevistos. Além disso, existem tipos diferentes dela – sendo possível, inclusive, realizá-la sem interromper os processos.

Entender o conceito de manutenção corretiva e sua aplicabilidade é importante para saber quando ela é ou não a mais indicada. É sobre isso que falaremos neste artigo. Continue lendo e confira tudo que você precisa saber sobre esse assunto!

O que é manutenção corretiva?

Quando uma máquina, ferramenta ou equipamento apresenta qualquer tipo de falha, que interrompe ou não o seu funcionamento, ele precisa receber uma manutenção corretiva. Conforme o nome indica, essa manutenção é realizada com o objetivo de corrigir um determinado problema.

Existem empresas que adotam essa como sua prática principal para garantir a operacionalidade do maquinário. Em outras organizações, a manutenção corretiva é realizada quando necessário e de forma estratégica, sendo parte do plano de manutenção e dependendo do equipamento que precisa de reparos.

Também existem casos em que a manutenção corretiva é tida como uma alternativa mais viável e menos custosa do que a preventiva ou preditiva. No entanto, é preciso ter cuidado porque geralmente acontece o contrário: a correção sai mais cara que a prevenção.

Quais são os tipos de manutenção corretiva?

Conforme explicamos, existem tipos diferentes de manutenção corretiva. Os objetivos de cada um deles são os mesmos, mas a forma e o momento em que são aplicados é o que varia.

Basicamente, podemos apontar dois modelos: a manutenção corretiva planejada e a não planejada.

Manutenção corretiva planejada

Nesse tipo de manutenção corretiva, os reparos que serão feitos em um equipamento não acontecem de forma imediata. É feito um agendamento para a execução do serviço em um momento mais apropriado.

O objetivo é evitar a interrupção do funcionamento dessa máquina para garantir o andamento das tarefas ou com o intuito de adquirir as ferramentas, as peças ou mesmo a mão de obra que realizará o conserto.

É possível aplicar a manutenção corretiva planejada quando a máquina apresenta um defeito que não compromete de imediato suas operações. É o caso de alguns tipos de vazamento ou aquecimentos fora do comum.

Perceba que, em situações como essas, é possível manter a operação porque os problemas não afetam de forma direta as funções básicas do equipamento. Porém, se não for realizado o reparo, o pequeno problema poderá se tornar uma grande complicação, trazendo prejuízos.

Manutenção corretiva não planejada

A manutenção corretiva não planejada é aquela que tem um caráter emergencial. É realizada quando o equipamento apresenta uma falha que impede o prosseguimento das operações, exigindo essa intervenção imediata.

Esse tipo de manutenção geralmente é necessário quando a máquina não recebeu uma inspeção correta ou não foram realizadas operações preventivas. A falha também pode acontecer em função do manuseio incorreto, erros na execução de um processo ou acidentes.

O problema de esperar essa necessidade se manifestar para intervir é ter que lidar com o imprevisto. Existe um risco muito grande ao se adotar o modelo de manutenção corretiva não planejada, pois não se sabe quando uma determinada máquina vai apresentar problema.

Isso pode trazer consequências negativas para o processo produtivo, colocar os colaboradores em risco ou gerar gastos muito grandes. Entretanto, existem empresas que preferem assumir esse risco em vez de adotar uma postura preventiva.

Quais são os métodos e procedimentos da manutenção corretiva?

A manutenção corretiva pode ser executada de formas diferentes. Existem vários métodos e procedimentos que são aplicados, dependendo das intervenções que precisam ser feitas no maquinário, bem como das condições em que ele se encontra.

A seguir, listamos alguns desses métodos e procedimentos frequentemente adotados. Em alguns casos, eles também são classificados como tipos de manutenção corretiva. O importante é apenas entender o seu conceito e a técnica aplicada, para perceber de que maneira eles funcionam na prática.

Revisão

Nesse método, é feita uma inspeção do maquinário apenas nos momentos definidos como mais apropriados. Também é realizado um reparo ou restauração, se houver necessidade, para que o maquinário retorne ao seu status total de serviço, seguindo os padrões de manutenção.

Reparo de falhas

Não existe segredo nesse método da manutenção corretiva. Quando determinado equipamento ou maquinário apresenta qualquer tipo de falha, ele é restaurado com o intuito de recuperar o seu estado operacional.

Reconstrução

No método de reconstrução, é feita uma intervenção completa no equipamento. Ele é desmontado, suas partes são reparadas, ou peças e componentes trocados. O intuito é restaurar esse equipamento para que ele recupere seu estado original, tanto em aparência quanto em desempenho, aumentando sua expectativa de vida útil.

Salvamento

Algumas vezes, máquinas e equipamentos chegam a um estágio em que já não podem mais ser reparados, então, eles servem como fonte de salvamento para outros. Dos inoperantes, serão utilizados materiais que podem servir para os equipamentos que precisam de manutenção.

Por que a manutenção corretiva não é a mais indicada?

Considerando as necessidades atuais de diferentes tipos de empresa, podemos perceber que a manutenção corretiva não atende mais às demandas. Isso porque o seu foco principal é corrigir um problema apenas depois que ele se manifesta.

Nesse contexto, a manutenção 4.0 traz soluções muito mais eficientes para evitar que as correções de emergência sejam necessárias. A prevenção, bem como a manutenção preditiva, são melhores alternativas por garantirem o bom funcionamento do maquinário constantemente.

Na manutenção preditiva, é feito o monitoramento do maquinário utilizando outros equipamentos e programas. Eles acompanham o desempenho, registram dados e relatam tudo aquilo que está acontecendo com uma determinada máquina.

Sendo assim, podemos acompanhar fatores que poderiam desencadear problemas, como pressão, vibração, corrente elétrica, fluidos, temperatura e assim por diante. Dessa forma, quando houver alterações nos padrões aceitáveis, é possível intervir antes que a máquina tenha uma pane.

Além disso, com essa estratégia, entende-se mais a fundo quais são os padrões de funcionamento do maquinário. Torna-se possível perceber suas tendências para apresentar falhas e prever acontecimentos, de modo a planejar ações que vão evitar que os piores cenários se concretizem.

É verdade que a manutenção corretiva pode ser necessária em alguns momentos. Porém, adotá-la como estratégia principal é um grande risco, tanto no quesito segurança quanto no quesito impactos financeiros. Por isso, aplicar soluções da manutenção 4.0 é uma melhor alternativa para não ter imprevistos nem prejuízos.

Quer saber mais a respeito da manutenção preditiva? Confira o nosso artigo sobre a importância desse modelo!

Compartilhe: